A pedido do MP, TJPB arquiva por unanimidade caso das camas da UPA de Sousa

 O Pleno do Tribunal de Justiça da Paraíba arquivou por unanimidade na manhã desta quarta-feira, procedimento envolvendo o deputado Renato Gadelha (PSC) no episódio do transporte de camas pertencentes a um hospital privado que tinham sido cedidas temporariamente à Prefeitura de Sousa para uso na UPA da cidade.

 O TJPB acompanhou entendimento do Ministério Público, apontando que além de ter ficado provada a propriedade do material não houve qualquer ilegalidade nos atos do deputado Renato Gadelha. Diante dos fatos, o MP recomendou arquivamento e todos os Desembargadores votaram pelo arquivamento.

 Os advogados Thiago Xavier e Iarley Maia acompanharam a decisão. “Entendemos que ainda no momento da apreensão das camas, toda a situação ficou esclarecida com a apresentação de toda a documentação comprovando que as camas eram de propriedade privada”, explicou Thiago Xavier. Para Iarley Maia, “não havia outro caminho neste caso. Não houve ilicitude e foi apresentada farta documentação. O MP e o TJ foram precisos no arquivamento”.

 Por telefone, o deputado Renato Gadelha comentou o arquivamento que chamou de inevitável. “Nunca cogitei outro desfecho para esta situação que não fosse o arquivamento. Digo isso com a segurança de alguém que sempre cumpriu suas obrigações e respeitou as leis. O que havia, por parte de adversários políticos locais, era uma tentativa desesperada de manchar minha história. A justiça apontou quem tinha razão”, finalizou Renato Gadelha.
com