Menu
Redes Sociais
Pedidos
Você pode solicitar

Alguma inclusão ou alteração

Mas atenção

Você precisa ler os

Termos e Condições

para escolher o assunto correto

   
 

Alhandra

Mapa da Cidade


Exibir mapa ampliado

Alhandra é um município brasileiro localizado na microrregião do Litoral Sul, estado da Paraíba. Sua população em 2012 foi estimada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) em 18.324 habitantes,3 distribuídos em 183 km² de área.

História da Cidade


Em 1574, por um Decreto Real, a Paraíba foi desmembrada de Itamaracá, sendo criada a Capitania Real da Paraíba, cujos limites iam do rio Abiaí à Baia da Traição (SILVEIRA, 1999). A conquista da Paraíba só foi consolidada em 1585, com a fundação da cidade de Nossa Senhora das Neves (atual João Pessoa), depois de onze anos de expedições e inúmeras batalhas sangrentas entre colonizadores e os nativos locais. Os Potiguaras aliados dos franceses não facilitaram em nada a ação dos colonizadores portugueses nessas terras. O ato considerado fundante da Paraíba foi uma aliança celebrada entre os portugueses e os Índios Tabajaras, cujos personagens conhecidos desse fato são João Tavares e Piragibe.

Como aconteceu em todo o Brasil, após a conquista definitiva das terras da Paraíba pelos portugueses foram criadas as aldeias missionárias, a exemplo de Jacoca (atual cidade de Conde), e a dos Arataguis (atual cidade de Alhandra). Nas missões, os índios ficavam sobre os cuidados de religiosos, que vestidos segundo os ideários cristãos levavam os índios à prática dos “bons costumes”, ensinando a educação moral e religiosa. O índio era visto como aquele a ser salvo, pois os consideravam como os “pobrezinhos” que não conheciam a verdade, era dever dos padres mostrar-lhes o caminho do céu. A mentalidade européia e cristã da época, não entendia e nem aceitava o diferente.

Nesse sentido, a cultura indígena era vista como algo que precisava ser superado pelo ideário católico, tendo nos jesuítas os primeiros padres missionários a estarem na Paraíba. Segundo Wilson Seixas (1979), os padres jesuítas Simão Travassos, Jerônimo Machado e Baltazar Lopes fundaram residência na região, dando inicio as práticas que se ocupavam na catequese dos índios situados nas aldeias tanto do litoral quanto do sertão. Com a chegada dos franciscanos, que também passaram a se ocupar com os serviços de catequização das aldeias, vieram os conflitos. Os jesuítas acabaram sendo expulsos da Capitania, em 1593, pelo então governador da Paraíba Feliciano Coelho de Carvalho, restando aos franciscanos todo o trabalho missionário da região.

...após a expulsão dos jesuítas cresceu muito na capitania a devoção e o número dos cristãos impulsionados pela grande confiança que tinham os padres franciscanos sobre os quais recaia o peso de muitos serviços nas aldeias, tanto que passaram a ser considerados como os melhores auxiliares na conversão moral e religiosa entre os índios e moradores. (SEIXAS, 1979. p. 47)

Para Seixas (1979) os franciscanos eram melhores na catequização indígena que os jesuítas, inclusive eles eram detentores do afeto dos nativos da região. Neste discurso ingênuo até parece que não havia conflitos e nem resistência por parte dos índios, uma vez que por trás desse conflito entre jesuítas e franciscanos estava um interesse maior, o dos colonos pela mão-de-obra indígena, acabando por desencadear na escravização.

Os franciscanos foram assim construindo igrejas e conventos nas aldeias, no intuído de exercer uma maior presença e por isso controle sobre os índios. Assim foi fundada a igreja de Alhandra com a invocação de Nossa Senhora da Assunção, uma das primeiras a ser erguidas em 1740. Sob um estilo barroco rural, a igreja de Nossa Senhora de Assunção já sofreu muitas alterações, porém conserva até hoje muito de sua arquitetura original. Associado a isto, houve a construção da igreja e do convento pelos próprios índios, o que corroborou no deslocamento de sua cultura e de sua religião, pela visão e instituição do deus cristão. Sob esta perspectiva temos que “Na Paraíba, as tabas foram sendo esvaziadas, virando aldeias missionárias, manipulados por poucos religiosos... A política colonialista era de misturar os índios de tribos e nações diferentes...” (MELO, 1999, p. 201). O autor reforça a concepção já discutida que as aldeias, na Paraíba, passaram a ser responsabilidade dos religiosos, onde a política colonialista misturava diferentes aldeias e nações indígenas, demonstrando que sempre que uma nova aldeia era conquistada pelos brancos ela era levada para um outro lugar, este já espaço de índios amansados.

A aldeia missionária de Alhandra, ao que parece, sempre recebia novos índios, trazidos de outras partes da Paraíba, principalmente do interior (sertão). Tal fato pode ser percebido quando nos deparamos com os dados: em 1804, Alhandra tinha cerca de 766 índios, no ano seguinte ela já apresentava 1.372 (MEDEIROS, 1999). Segundo Maria do Céu Medeiros, essa faceta dos colonizadores possibilitava a concentração de mão-de-obra indígena, o que se fazia necessário na produção do litoral canavieiro (o sertão paraibano era um território relegado pelo interesse dos colonizadores), na construção de obras públicas, nas lavouras e engenho, enfatizando o índio como um “produto” cobiçado pelas nações. Alhandra era, então, um espaço propício de índios para o trabalho, provindos muitas vezes do sertão, predispostos aos mandos e desmandos das autoridades coloniais.

Daí a aldeia missionária ser de extrema importância para os colonizadores europeus, pois tiravam os índios de seu território e levavam para um lugar estratégico, propiciado pelas missões. Estas ações de isolamento e controle dos índios eram bem sucedidas, servindo na pacificação dos índios. A importância da missão indígena de Alhandra foi enfática, pois uma vez a capela construída, a cidade logo foi elevada a Freguesia de Nossa Senhora da Assunção (1749), sendo a segunda freguesia a ser criada na Paraíba. A freguesia de Alhandra era ligada à diocese de Olinda. Após a criação da freguesia, em 1758, o reduto indígena foi tornado vila: “...Em virtude da Carta Régia de 14 de Setembro e Alvará desta data, é elevada a categoria de villa a aldeia de Arataguy, com o nome de Alhandra.” (PINTO. 1977, p. 158).

Em 1758 se torna a primeira vila da Paraíba, sendo apenas instalada em 1765. Após Alhandra se seguiram quatro vilas, a de Pilar (1758), a de São Miguel da Baía da Traição (1762), a de Monte-Mor da Preguiça (1762) e a de Jacoca, (atual Conde em 1768). Todas elas fundadas a partir de aldeias indígenas. Percebe-se que todas foram criadas em um curto espaço de tempo, e todas além de serem aldeias indígenas, ficavam também na faixa litorânea. O que nos demonstra um maior controle indígena. Na medida em que Alhandra deixa de ser uma simples aldeia missionária e passa a ser vila, ela deixa de ter apenas as autoridades religiosas, e passa a ter um controle das autoridades civis. Nesse sentido o índio deixa de obedecer ao padre e passa a obedecer ao capitão-mor e ao capitão dos índios e as demais autoridades civis locais.

Alhandra não era, portanto, um lugar de grande expressão, era um pequeno lugarejo. Consta que por volta de 1774, possuía cerca de 620 construções e 1089 habitantes, isso é mais do que a população de Jacoca que, no mesmo ano possuía 445 construções e 744 habitantes. Mas se comparada a Pombal que foi elevada a vila depois, no mesmo ano de 1774 já tinha 2451 construções e 5422 habitantes (SILVEIRA, 1999. p. 33). Contudo a maior razão por ter sido Alhandra a primeira vila foi por certo os índios.

Alhandra não surge vila assim, por sua grandeza, desenvolvimento ou por ser um povoado de relevante expressão. Mas sim para atender a uma estratégia da política colonialista, não é de se estranhar que Alhandra irá permanecer por mais de duzentos anos na categoria de vila.

- No ano de 1959, um grupo de moradores da Vila de Alhandra, cansados da Vila viver dependente administrativamente da Capital João Pessoa, começam a pensar que Alhandra deveria se tonar cidade. Inicia então a luta dos filhos de Alhandra pela Emancipação política da vila.

Os senhores Valdemar Galdino Naziazeno, Adalberto Fulgencio dos Santos, Roldão Guedes, Manoel Torres Filho, Teófilo Calixto, José Guedes Francisco Barbosa e outros lutaram incansavelmente para a sonhada emancipação.

Sua emancipação política se deu em 24 de abril de 1959, sendo instalada em 08 de maio do mesmo ano, ficando desmembrada de João Pessoa e formando o município de Alhandra.
Alhandra é uma cidade do Estado da Paraíba www.guiaparaibano.com.br . Mais informações aqui no GUIA Paraibano Alhandra é um município brasileiro localizado na microrregião do Litoral Sul, estado da Classificação: 5


Esta informação foi útil para você?




Notícias

02/10/2017 - Primeiro Shopping Outlet da Paraíba já está sendo construído
10/09/2017 - Frei Anastácio pede que Incra faça vistoria em fazenda de bambu
02/03/2017 - Por conta da chuva, motorista perde controle de carro e capota na BR-101
21/02/2017 - Pauta do TCE para quarta-feira contém as contas de três Prefeituras e três Câmaras
16/02/2017 - TCE determina bloqueio de contas de uma prefeitura do Vale do Piancó e outras 6 na Paraíba
15/02/2017 - TCE determina bloqueio de contas de sete prefeituras paraibanas e quatro Câmaras Municipais
14/02/2017 - Pauta do TCE tem contas da PBPrev, PBTur, nove Prefeituras e seis Câmaras
31/01/2017 - Prefeito de Alhandra divulga data do pagamento dos servidores municipais
29/01/2017 - Ex-presidiário de Igarassu-Pernambuco, é morto em Alhandra
29/01/2017 - Ex-presidiario de Pernambuco é assassinado em Alhandra
27/01/2017 - Prefeitura de Alhandra tem energia cortada por débito de R$ 150 mil deixado por ex-prefeito
19/01/2017 - Dívidas com INSS e advogados deixadas por ex-prefeito bloqueiam repasse do FPM e contas de Alhandra
04/01/2017 - TCE desbloqueia contas de Cajazeiras e mais 60 prefeituras
02/01/2017 - Homem morre vítima de afogamento em Alhandra
31/12/2016 - Prefeito eleito de Alhandra descobre articulação de pistoleiros para impedir sua posse
31/12/2016 - Renato Mendes descobre articulação de pistoleiros para impedir sua posse em Alhandra
22/12/2016 - TCE-PB autoriza o desbloqueio das contas bancárias de 61 Prefeituras Municipais
19/12/2016 - Serraria tem maior registro de chuvas em dezembro na Paraíba
17/12/2016 - Renato Mendes recebe 3º diploma de prefeito
15/12/2016 - Motorista é preso pela PRF durante palestra educativa na Paraíba
13/12/2016 - Prefeitura de Alhandra paga 13º salário na próxima quinta
07/12/2016 - Polícia prende suspeitos de homicídio na região de Alhandra
06/12/2016 - Prefeito eleito é condenado por posse ilegal de armas e munições
01/12/2016 - Mulher é presa com 1kg de cocaína dentro de táxi no Litoral Sul
30/11/2016 - Dono de loja é preso acusado de comandar esquema de roubo e desmanche de carros na Paraíba
29/11/2016 - Operação desarticula quadrilha de roubo e desmonte de veículos e apreende 50 mil peças
23/11/2016 - Armazém Paraíba de Alhandra é assaltado por homens armados
07/08/2016 - Detidos quatro suspeitos de assassinar sargento da PM a tiros e roubar moto e arma dele
03/08/2016 - PM prende suspeitos de roubo nas cidades no Conde e Sapé
03/08/2016 - Polícia prende suspeitos de roubo nas cidades do Conde e Sapé
28/07/2016 - Mulher morre e quatro ficam feridos após veículo sair de pista e capotar
25/07/2016 - Concursos oferecem mais de 1,1 mil vagas de emprego na Paraíba
24/07/2016 - Dez editais de concursos públicos foram publicados por prefeituras e pelo Cref10/PB
24/07/2016 - Três prefeituras paraibanas estão com vagas abertas para concursos confira!
23/07/2016 - Homem estupra criança de oito anos e é preso após cometer o crime, na Paraíba
17/07/2016 - Abertas inscrições para concurso com 300 vagas e salários de até R$ 3,4 mil na Paraíba
15/07/2016 - Conselho da Magistratura do TJPB aprova relatórios de mutirões
27/06/2016 - Começam as inscrições do concurso para a Prefeitura de Alhandra
24/06/2016 - Menor desaparecido na Paraíba, é encontrado sem vida, em Alhandra
24/06/2016 - PRF na Paraíba prende acusado de aplicar golpes em Pernambuco, Bahia, Alagoas e Ceará
24/06/2016 - PRF prende estelionatário na BR-101
22/06/2016 - Alhandra lança concurso com 300 vagas e Queimadas oferece 121; salários variam entre R$ 1,7 e R$ 3,4 mil
22/06/2016 - Jovem achada morta foi sequestrada e torturada por traficantes, conclui polícia
21/06/2016 - Jovem que estava desaparecida em Caaporã é encontrada morta em rio próximo à Alhandra
21/06/2016 - Jovem desaparecida durante festa é encontrada morta a tiros em Alhandra
20/06/2016 - Veículos roubados em São Paulo são recuperados pela PRF na Paraíba
16/06/2016 - Ex-prefeito de Alhandra tem contas rejeitadas pelo TCE
13/06/2016 - Jovem é preso suspeito de arrombar farmácia em Mangabeira
13/06/2016 - Jovem é preso acusado de arrombar farmácia em Mangabeira
10/06/2016 - Vereador denuncia indícios de irregularidades no concurso do Conde ao MP