Cai mais um pedaço do teto de uma sala de aula no Campos III da UEPB em Guarabira

“Ninguém, repito, ninguém gosta de greve ”. Foi com essa frase que alunos do campus III da UEPB em Guarabira , agreste paraibano, definiram a situação pela qual passa a universidade.

Foi enviada à nossa redação imagens e relatos de que mais uma vez uma sala de aula teve parte do reboco do teto caído. “Esta foto não se refere a um outro dia… acaba de cair DE NOVO um pedaço do teto na UEPB. Profissão de risco a nossa e para vida dos estudantes. Na véspera de iniciar a greve indicada em assembléia na semana passada..

É mantida a nossa necessidade de denunciar que não da para continuar reduzindo mês a mês o repasse da UEPB. No entanto, esta situação também enuncia a ausência de cuidados sérios com o CH”. disse um aluno.



A greve é inevitável



Em assembleia geral realizada na manhã desta quinta-feira (6), os professores da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) decidiram entrar em greve e vão paralisar as atividades a partir da amanhã (quarta-feira, 12). O anúncio da greve foi feito após a votação entre os docentes. Cinquenta (50) votaram a favor da greve , e vinte e três (23) votaram contra e quatro (4) se abstiveram. Com a greve , apenas 30% do efetivo deve continuar trabalhando, por cumprimento a lei regulamentar.

Segundo a assessoria de imprensa da Associação dos Docentes da UEPB, (Aduepb), e os alunos que apoiam a paralisação, a greve so foi definida por conta das péssimas condições da universidade. Professores e alunos exigem que o Governo do Estado (Ricardo Coutinho) cumpra o orçamento de R$ 317 milhões que abra negociações das perdas salariais de professores contra a portaria da reitoria que limita gastos na instituição contra a redução de vagas na instituição e exigindo o cumprimento da lei de autonomia da UEPB.

“Todavia, se o governo continuar reduzindo o repasse e a reitoria também não fizer sua parte, temos uma tragédia anunciada por duas vezes. Continuar desta maneira é colocar em risco todas as pessoas que frequentam a UEPB. Nós continuamos acreditando na UEPB. Concluiu, o aluno Eduardo Júnior.





 



 

Comenta