Duas pessoas são suspeitas de contrair o vírus H1N1 e uma vem a óbito na cidade de Patos

Hospital Regional de Patos Um paciente da cidade de Condado (PB) que estava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Regional de Patos veio a óbito na noite desta terça-feira, dia 05. A principal suspeita é de que a pessoa poderia estar com o vírus mortal da gripe H1N1.
O outro caso da possível gripe H1N1 é de uma adolescente de 17 anos que está grávida. Ela é da cidade de Matureia (PB) e estava internada na Maternidade Dr. Peregrino Filho. A jovem com quase nove meses de gravidez foi transferida por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), em uma Unidade de Suporte Avançado (USA), para o ISEA de Campina Grande . A equipe do SAMU da cidade de Patos fez a transferência na noite desta terça-feira, dia 05.
No caso da morte do Hospital Regional de Patos , o diretor Leudo Farias relatou a reportagem do que está enviando o corpo para a capital paraibana para exames clínicos mais detalhados, pois até o momento o óbito é apenas suspeito da gripe H1N1.     
A gripe H1N1 é muito parecida com o resfriado ou a gripe comum, no entanto, os sintomas evoluem rapidamente para quadros de dores musculares, febre alta, cansaço e dificuldades para respirar. O paciente infectado deve procurar atendimento médico em 24 horas sob risco de agravamento e até mesmo morte.
Os casos registrados deixam em alerta toda a região polarizada por Patos , pois a gripe H1N1 é extremamente letal caso não seja tratada com a máxima urgência de tempo após os sintomas.
Uma mulher de 25 anos de idade veio a óbito nesta terça-feira, dia 05, na cidade de Campina Grande com a gripe H1N1. O caso foi o primeiro da cidade de Campina e a jovem era estudante do Curso de Letras da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB).
 
 
Jozivan Antero –
 
 
 
var imgsNoTexto = [];