Líder da oposição na CMCG diz que colegas de situação “não honram a calça que veste”

 O clima esquentou na Câmara Municipal de Campina Grande . Vereadores da situação e oposição tem “trocado” farpas, principalmente, quando chega um projeto enviado pelo Executivo.

A última polêmica que “incendiou” o Plenário da Casa, teve como base a votação do projeto das subvenções aprovado na semana passada. O líder da bancada oposicionista, Galego do Leite (Podemos), acusou os colegas da base do prefeito de descumprir um acordo feito para que o projeto só fosse votado na presença de todos.

Para ele, os governistas “Não honram as calças que vestem” Ele estava ausente no dia da votação pois cumpria agenda fora e só Anderson Maia (PSB), da bancada de oposição, estava no dia e alega não ter sido avisado sobre a pauta.

 Galego do Leite lamentou a quebra de compromisso afirmando que “pino foi feito pra ser batido”.

– Fizemos um acordo. Não há nada de imoral nisso, agora pino foi feito para se bater. Havia um compromisso. Lamento a falta de respeito que não tiveram com os que não estavam aqui e lamento também a falta de compromisso dos que votaram mesmo tendo acordado conosco que só votariam quando todos estivessem de volta. A gente fica triste porque quando fazemos acordo de bancada e vemos pessoas, que são cidadãos de bem, que dão sua palavra e batem pino, parecem que não honram as calças que vestem – bradou.


Vice líder - Vice  líder do governo Romero Rodrigues na Câmara Municipal de Campina Grande ,  o vereador Alexandre do Sindicato (PHS), afirmou que a votação do projeto das subvenções não foi feito de surpresa. Para ele, "a oposição ‘bateu pino’ no plenário.

Em entrevista o vereador  destacou que na última terça-feira (26) foi apresentada uma pauta para todos os vereadores, e nesta constava a votação do projeto das subvenções.

Segundo ele, foi acordado por todos os vereadores, incluindo os da oposição, que o projeto seria votado do jeito que chegou à Câmara e que as emendas seriam discutidas posteriormente.