Morte de agricultor em Camalaú pode ter sido por encomenda

 

O primeiro assassinato do ano de 2016 no Cariri, aconteceu no último 7 de Janeiro  e o palco da tragédia foi no sítio jerimum na casa do senhor, Zé de Sério conhecido também como Zé Queiroz .



A vítima Josival Fernandes das Chagas, conhecido como Josa de Paulo Belo, residente no sítio Salgadinho, estava na casa do patrão, com Zé de Sérgio e seu pai  Paulo Belo quando Adalberto Lucena de Melo(Zoma) teria ido até o local cobrar uma dívida de 200 reais  de Josa, que no momento afirmou que não teria o dinheiro, mas que logo pagaria. Zoma ameaçou Josa disse que se ele não pagasse receberia de outra forma.



O pai da vítima o seu Paulo Belo, vendo a discussão dos dois que acontecia no terreiro da casa, afirmou que logo que recebesse a aposentadoria pagaria a dívida do filho. Mas Zoma insistia em receber naquela hora o dinheiro, foi quando o patrão de Josa Zé de Sérgio perguntou quanto ele queria para acabar aquela confusão e a dívida ser paga. Zoma exigiu 300 reais e Zé de Sérgio entrou em casa para buscar o dinheiro, e chamou Josa para acompanhar o mesmo para pegar o dinheiro.



Ao dar as costas para pegar o dinheiro, Josa levou o primeiro tiro de Zoma e ao tentar correr do seu algoz, Zoma disparou mais quatro tiros em Josa que morreu no local.



Após descarregar o revólver 38, Zoma fugiu em uma moto  CG vermelha.



O delegado que apura o caso Dr. Yure Givago para identificação do assassinou conseguiu encontrar seus documentos na casa de  Antônio de Evandro no mesmo sítio onde aconteceu o assassinato.



Zoma continua foragido. Com o depoimentos de várias pessoas o Delegado espera elucidar o caso, se Zoma veio mesmo cobrar a dívida que seria paga ou teria vindo a mando de alguém assassinar Josa.Tem uma recompensa de 3 mil reais para quem informar a Polícia o paradeiro do assassino.



Jacquelline Oliveira