Mutirão em João Pessoa e em Campina Grande analisa mais de 600 processos

Justiça em Dia julga mais de 600 processos

Aproximadamente 600 processos das comarcas de Água Branca, Santana dos Garrotes, Bonito de Santa Fé, 1ª e 2ª Varas de Mamanguape , Paulista, São José de Piranhas, 3ª Vara Mista de Pombal e 1ª Vara Mista de Catolé do Rocha foram analisados e julgados, de 1º a 30 de junho, em cumprimento às resoluções nº 12/2016 e 13/2016, do Conselho da Magistratura da Paraíba, publicadas no dia 31 de maio do corrente ano.

Na Capital, para onde foram trazidos os processos de Água Branca, Santana dos Garrotes, Bonito de Santa Fé e das 1ª e 2ª Varas de Mamanguape , foram julgados 386 processos. Já em Campina, que analisou processos das comarcas de Paulista, São José de Piranhas, da 3ª Vara Mista de Pombal e da 1ª Vara Mista de Catolé do Rocha , foram analisados 220 processos e prolatadas 177 sentenças.

A ação faz parte do projeto "Justiça em dia", que tem como objetivo otimizar o andamento dos processos para agilizar a concessão de direitos ainda pendentes de análise. Os trabalhos foram realizados na Capital, no Fórum Regional de Mangabeira, que teve como coordenadora a juíza Andréa Arcoverde, e, em Campina Grande , no Fórum Afonso Campos, com a juíza Deborah Cavalcanti a frente das atividades.

"O projeto Justiça em dia é muito importante para agilizar a prestação jurisdicional e dar cumprimento às Metas 1 e 2 do CNJ, principalmente por se tratar de comarcas do interior, já que muitas se encontram sem juízes titulares", destacou a juíza Andréa Arcoverde.

Já a juíza Deborah Cavalcanti explicou que para a decretação do esforço concentrado, foram consideradas as metas prioritárias definidas pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que têm por finalidade concretizar o preceito constitucional da "razoável duração do processo".

Por Marayane Ribeiro (estagiária)