PM prende mais de 60 pessoas e apreende 20 armas de fogo

A Polícia Militar prendeu e apreendeu 67 pessoas e apreendeu 20 armas de fogo e mais de 3 kg de drogas durante as atividades da Operação Carnaval, que foram encerradas nessa terça-feira (9). No período, a corporação garantiu a segurança de mais de 300 mil foliões por dia, principalmente nas cidades do Conde, Pitimbu, Lucena, Baía da Traição e Cajazeiras , onde aconteceram os maiores festejos. Mais de 4 mil policiais militares foram utilizados na operação em todo Estado.

O policiamento ostensivo realizado pelas Forças de Segurança do Estado, que envolvem homens das Polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros e o Grupo Tático Aéreo com o helicóptero Acauã, garantiu aos foliões mais tranquilidade nas áreas das praias e em todas as regiões do Estado.

Ainda dentro das ações da Polícia Militar no carnaval, foram recuperados 30 veículos com registros de roubo s ou furtos, sendo 19 motos e 11 carros.

Das 67 pessoas detidas, 22 foram por porte ilegal de arma, 14 por homicídio ou tentativa, 14 com drogas , 13 por roubo ou furto, três por força de mandado de prisão e um por crime ambiental.

Armas apreendidas ? As apreensões de armas realizadas durante o carnaval aconteceram nas cidades de João Pessoa , Remígio, Esperança , Alhandra, Campina Grande , Sumé, Imaculada, Pocinhos, Monteiro , Cajazeiras , Esperança e São Sebastião do Umbuzeiro.

O próprio comandante-geral da Polícia Militar, coronel Euller Chaves, esteve nas ruas fiscalizando a aplicação do planejamento operacional montado pela instituição para o período e fez uma avaliação positiva do resultado. "Garantimos a segurança de mais de 300 mil foliões por dia em todo o Estado, principalmente nas cidades onde os festejos foram maiores, com um esquema de segurança que envolveu cerca de 4 mil policiais militares", informou.

O Centro Integrado de Operações Policiais (Ciop) recebeu 17.896 ligações durante o período carnavalesco. A maioria das reclamações da população foi referente à perturbação de sossego e averiguação de suspeitos. Os policiais militares que trabalham no Ciop permanecem em regime de plantão 24 horas para receber as denúncias e a equipe foi reforçada durante o período carnavalesco