Prefeita Francisca Motta dialoga com servidores e pede fim de greve

Atendendo a um convite da Prefeita Francisca Motta, representantes de categorias da Saúde e a diretoria do Sindicato dos Funcionários Públicos Municipais de Patos e Região, foram recebidos pela gestora Municipal na manhã desta terça-feira, 5 de Janeiro, oportunidade utilizada para prestar contas dos pagamentos feitos, que tornam a gestão em dia com o pagamento dos  servidores.

 

Publicamente, a gestão Municipal expôs a não entrada dos recursos Federais nas contas do Município, pagamento este, que legalmente pode acontecer até o quinto dia útil.

 

Segundo a Prefeita, o dialogo com os servidores sempre é construtivo. “Tive conhecimento de que o Sindicato realizaria uma assembleia e por saber que os servidores estavam reunidos os convidei para que viessem a Prefeitura, para que pudéssemos construir um entendimento”, disse.

 

A Prefeita reiterou a preocupação com o atendimento da população, afirmando que ao percorrer quinze Unidades de Saúde nesta manhã de terça-feira, encontrou Unidades em pleno funcionamento, pelo fato de muitos servidores terem consciência de que o repasse Federal não chegou e que só existe legalidade diante de paralizações depois do quinto dia útil. “A nossa folha está em dia, inclusive, pagamos o décimo terceiro salário, enquanto muitos municípios dividiram, outros se quer tiveram condições de pagar. Hoje, é o segundo dia útil do mês, a constituição determina que o pagamento da folha pode ser até o quinto dia útil e vamos aguardar a chegada desses recursos federais”, ressaltou Francisca Motta.

 

A Prefeita antecipou que permanecerá visitando as Unidades de Saúde e que as coordenações das Unidades irão realizar uma rigorosa fiscalização com relação a manutenção de equipamentos e abastecimento. “Acredito que ninguém mais do que eu, tenha sido tão justa em relação aos pagamentos. O plano de cargos, carreira e remuneração era um sonho antigo de todos, hoje, graças ao nosso empenho, é realidade. O que não podemos fazer é prometer aquilo que não se pode cumprir, uma vez que os recursos que irão chegar são do governo federal e de competência do mês de novembro, isso significa que a Prefeitura ja antecipou duas folhas”, acrescentou a Prefeita.

 

A presidente do Sinfemp, Maria do Carmo, destacou o diálogo com a gestão e disse que o Sindicato levará o contexto da situação para os servidores, que se reunirão em assembleia. “Vamos conversar com os servidores, a gestão disse que não tem como pagar antes do repasse dos recursos federais e iremos levar essa realidade para uma assembleia que está marcada para as 17h, de hoje. A campanha salarial também foi discutida na reunião, será uma pauta tratada para fevereiro”, ressaltou.