Professores da UEPB podem iniciar 2017 com greve

Os professores da Universidade Estadual da Paraíba poderão iniciar o ano de 2017 com uma greve por tempo indeterminado, caso o Governo do Estado não abra um canal de negociação com a categoria para discutir uma reposição salarial.

Segundo informado pela Associação dos Docentes da UEPB – ADUEPB, a categoria acumula mais de 25% de defasagem salarial nos últimos anos e desde o início deste ano está com suas progressões suspensas por uma lei estadual.

A decisão de decretar o estado de greve foi tomada na manhã da última quarta-feita (7), numa assembleia geral da categoria, realizada no Auditório do Curso de Psicologia, no Campus de Campina Grande . Os professores analisaram um indicativo de greve e poderiam iniciar uma greve , mas avaliaram que devido a proximidade das férias, a tendência é um esvaziamento da universidade e uma desmobilização da categoria.

Para intensificar a mobilização e preparar a categoria para novos embates políticos em 2017, a categoria deliberou a criação de uma Comissão de Mobilização, que atuará em conjunto com a diretoria da ADUEPB. Ela será integrada pelos professores Lourdes Sarmento, Mauriene Freitas, Jussara Carneiro, Ana Paula Araújo, Juarez Nogueira, Cristiane Nepomuceno e Dilma Trovão.

Além da campanha salarial e do indicativo de greve , os professores também discutirão a participação no 36º Congresso do ANDES-SN, que ocorrerá no mês de janeiro de 2017, em Cuiabá-MT. Foram escolhidos como delegadas as professoras Lenilda Cordeiro, Mauriene Freitas, Cristiane Nepomuceno e Lourdes Sarmento.

com ADUEPB