Projeto Conhecendo o Judiciário recebe juristas populares da Fundação Margarida Maria Alves

Os alunos foram recebidos pelo Des. Leandro dos Santos, coordenador do Projeto

Alunos (líderes de movimento) do Curso de Formação de ‘Juristas Populares’, da Fundação de Defesa dos Direitos Humanos Margarida Maria Alves, participaram, na tarde desta segunda-feira(11), de mais uma edição do Projeto Conhecendo o Judiciário do Tribunal de Justiça da Paraíba, que tem como coordenador, o desembargador Leandro dos Santos. Os estudantes foram recepcionados na sala de sessões do Tribunal Pleno, no Anexo Administrativo "Desembargador Archimedes Souto Maior".

O desembargador Leandro do Santos disse que esta edição contou com um público diferenciado. "Pessoas que não são estudantes universitários de Direito, nem do Ensino Médio, mas, sim, da comunidade de um modo geral. São pessoas que integram a Fundação Margarida Maria Alves como julgadores populares. A gente vê um aspecto peculiar nesse encontro que é presença de um público que representa as minorias, os excluídos da sociedade e que estão em luta por processos de conscientização", ressaltou o desembargador.

"Tivemos, aqui, manifestações de um professor, de um catador de lixo, de um transgênero, que faz com que o Projeto se enriqueça muito, quando se tem o perfil de todas as pessoas da sociedade. O grande intuito desse Projeto é levar informações do Judiciário não para um público-alvo específico, mas para todos os segmentos da sociedade", finalizou o magistrado.

A advogada da Fundação Margarida Maria Alves, professora Domícia Pessoa, ao fazer suas considerações sobre a iniciativa, disse que "a maior relevância do Projeto Conhecendo o Judiciário é permitir uma maior aproximação da população com o Judiciário, por ser um órgão conhecido como algo intangível, místico e distante da sociedade. Quando se abre as portas e o espaço para nos ouvir, com direito a voz, fala, isso nos propicia uma ideia de igualdade e desmistificação que têm o Direito e o Tribunal. Acredito que a partir de agora os participantes já vão olhar o Judiciário de uma outra forma", ressaltou.

Já a transgênero Josy Silva, que trabalha como assessora técnica dentro do Centro de Cidadania LGBT do Município de João Pessoa , ao falar da importância do Projeto do Tribunal ressaltou: "Foi um momento ímpar. Estou representando toda essa população, que luta em prol de seus direitos. Todo esse aprendizado e as dúvidas, aqui tiradas, vou levar para minha população", destacou.

Por último, o catador de lixo Reginaldo Batista do Nascimento Filho, que trabalha na Prefeitura de Santa Rita , disse que "o encontro foi muito esclarecedor, inclusive serviu para tirar dúvidas acerca de direitos da categoria".

Fundação Margarida Maria Alves ? A Fundação trabalha há 15 anos com a propagação dos direitos humanos e o acesso à cidadania. Um desses trabalhos é o Curso de Formação de Juristas Populares.

Por Clélia Toscano

 
#gallery-1 { margin: auto; } #gallery-1 .gallery-item { float: left; margin-top: 10px; text-align: center; width: 11%; } #gallery-1 img { border: 2px solid #cfcfcf; } #gallery-1 .gallery-caption { margin-left: 0; } /* see gallery_shortcode() in wp-includes/media.php */