Romero atribui greve da educação a questão eleitoral e pede bom senso aos servidores

Em entrevista concedida na manhã desta segunda-feira, 29, o prefeito de Campina Grande , Romero Rodrigues, lamentou a paralisação nas atividades de alguns servidores da Educação no município e disse que encara com "muita preocupação".

"Eu vejo com muita preocupação, presto solidariedade as crianças e aos pais delas. Na verdade foi um grupo pequeno que paralisaram suas atividades e não há como a gente construir um futuro para essas crianças se não for a base da educação", disse.

Romero informou que provavelmente o município foi um dos únicos, em todo Brasil a conceder em termos percentuais reajuste de 57% a 137%. "Além de conceder o reajuste em 2013, 2014 e 2015, nós ampliamos a carga horária, em cinco horas, que significa dizer, mais salário no bolso do trabalhador".

O Chefe do Executivo municipal ainda ressaltou que em comparação ao Governo do Estado, que teve 0% de reajuste, os professores trabalham sem reclamar e muitos deles também dão aula no município, sendo assim ele associa a possíveis "perseguições" políticas tendo em vista o ano eleitoral.

"O reajuste no Estado é zero e tem professor no Sintab que dá aula, sem reclamar, e batendo palmas. Parece-me que as coisas se intensificam no período eleitoral ? disse.

O prefeito das Rainha da Borborema encerrou pedindo bom senso, uma vez que o reajuste de 11,36% já foi anunciado e o prazo a ser cumprido é até o mês de maio, podendo inclusive sair antes do previsto.

"Anunciamos o reajuste até maio e estamos no prazo, não entendo essa queda de braços entre prefeitura, categoria e Sintab, a gente tem sido correto, com os professores da rede municipal de ensino , tanto é que os servidores da prefeitura, os que mais receberam reajuste foi o nosso professor", Finalizou.