Servidores do judiciário realizam assembleia para decidir sobre greve

Os servidores do Poder Judiciário da Paraíba, em greve desde o dia 10, realizam assembleia geral extraordinária, hoje (16), a partir das 14h, no auditório do Fórum Cível de João Pessoa , para avaliar as últimas contrapropostas apresentadas pelo presidente do Tribunal de Justiça (TJ), Marcos Cavalcanti e decidir se continuam, ou não, em greve .

Entre as contrapostas apresentadas aos grevistas estão reajuste salarial de 10%, em duas parcelas, sendo a primeira, de 8,5% a partir de 01/01/2016 e a segunda, de 1,5%, incidindo a partir de 01/10/2016;Constituição, por ato da presidência, de Comissão Especial, com atribuições específicas de realizar estudos conjuntos com a PBPREV e a Secretaria de Estado da Administração, com vistas à incorporação gradativa aos vencimentos, dos benefícios (auxílio alimentação e auxílio saúde) atualmente pagos aos servidores.

A presidência do TJ também se comprometeu a constituir, a partir de janeiro/2016, por ato da presidência, de Comissão Especial, com atribuições específicas de realizar estudos com vistas à revisão das punições aos faltosos, por ocasião dos processos de progressão funcional, visando a sua redução;

Outras promessas do TJ são o incremento de 20% sobre o valor da gratificação de indenização de transporte aos Oficiais de Justiça que a ela fizerem jus, a partir do mês de maio/2016; Incremento de 11,1% (R$ 100) no valor do auxílio alimentação para todos os servidores, com efeitos retroativos a fevereiro/2015, com pagamento no mês de dezembro do corrente ano.

Audiência Pública

Na semana passada, uma das atividades dos grevistas foi a realização de uma audiência pública na Assembleia Legislativa,presidida pelo deputado Janduhy Carneiro, onde eles lotaram o plenário e as galerias.Durante a reunião,deputados e representantes das entidades explicaram os motivos da paralisação,falaram sobre os problemas da justiça paraibana e pediram mais atenção da presidência do TJ para às reivindicações dos servidores.