Tumulto durante assembleia da UFCG termina com carro pichado e aluno agredido

Confusão aconteceu durante assembleia sobre deflagração de uma greve . Discussão envolveu pessoas a favor e contra a paralisação

Uma professora da Universidade Estadual da Paraíba (UFCG) teve o carro pichado e um aluno da instituição teria sido agredido, durante a realização da assembleia em que os professores deliberaram sobre a deflagração de uma greve em todo os campi do estado. O tumulto ocorreu no campus Campina Grande , na manhã desta quinta-feira (24). A professora e o aluno registraram boletins de ocorrência.

Em assembleias realizadas durante a manhã, os professores dos campi de Campina Grande , Sumé, Cuité e Pombal /Sousa decidiram não aderir à greve . No resultado geral foram 246 votos contrários a greve e 77 votos a favor da paralisação e 15 abstenções. Apesar de a greve não ser aprovada, a paralisação desta sexta-feira (25) foi mantida pela categoria.

Segundo o diretor da Associação dos Docentes da UFCG (Aduefcg), Luciano Queiroz, o tumulto teria ocorrido entre alunos e professores que são a favor e contra a greve e ocupação de instituições de ensino. “Havia muitos alunos no local e nós fizemos um acordo de que cada grupo teria um representante para falar na assembleia. Mas um professor acabou instigando os alunos e eles quiseram invadir a assembleia, momento em um aluno foi empurrado com agressividade”, disse ele.

De acordo com Luciano Queiroz a professora, que é a favor da greve e das ocupações teve o carro pichado. Os agressores usaram spray de tinta para desenhar um órgão genital no carro dela. Ele disse que a professora tem sofrido uma série de insultos nas redes sociais. “Essa professora já vem sendo atacada nas redes sociais por um grupo de alunos, mas os casos estão sendo arquivados e apresentados polícia”, disse o diretor da Adufcg.

G1 PB