Vigilância Ambiental realiza fiscalização em casas e terrenos abandonados em João Pessoa

Faça chuva ou faça sol as ações para o combate ao mosquito transmissor da Dengue, Zika e Chikungunya, o Aedes aegipty, acontecem normalmente na capital.
Na manhã dessa quarta-feira (13), equipes da Vigilância Ambiental visitaram os bairros da Torre, Cabo Branco e Manaíra para vistoriar imóveis denunciados pela população como possíveis criadouros do mosquito.

A ação foi realizada em conjunto com a Secretária de Infraestrutura (Seinfra), já que foi necessária a utilização do caminhão tipo munck para transpor os muros das casas onde a equipe da Vigilância em Saúde não conseguiu falar com os proprietários.

“Estamos realizando essa vistoria em casas e terrenos denunciados pela população, que tem colaborado bastante com as ações da vigilância ambiental sempre informando possíveis focos. Como em alguns casos não conseguimos o contato com os proprietários utilizamos o caminhão munck para acessar o imóvel sem causar prejuízo e poder realizar a fiscalização normalmente”, explica o Diretor da Vigilância em Saúde, Silvio Ribeiro.

Durante a vistoria em alguns pontos foram encontrados focos do mosquito, nesses casos o larvicida foi aplicado pelos agentes de vigilância ambiental e o proprietário será notificado.

Ações contínuas ? Todos os dias, várias equipes da vigilância ambiental estão distribuídas nos bairros da cidade vistoriando casas e terrenos que possam abrigar focos Aedes aegipty.

Na tarde desta quarta-feira as ações continuam em todos os bairros da capital.

“Nossas ações acontecem de forma continua em todos os bairros da capital. Para isso estamos intensificando as ações e utilizando de todos os recursos e meios legais para combater o mosquito, orientando principalmente a população e garantindo dessa forma uma assistência mais eficiente com a participação coletiva”, ressalta Silvio Ribeiro.

Serviço ? A população também pode ajudar com as ações de combate ao Aedes aegypti, denunciando possíveis focos do mosquito através dos telefones: 0800-282-7959 e 3214-5718, ou pelo e-mail coessmsjp@gmail.com.

Ciclo de vida ? O Aedes aegytpi prefere o ambiente úmido para colocar seus ovos, que podem sobreviver até 450 dias nesse local.
Bastam alguns milímetros de água para eles eclodirem e, em uma semana, transformarem-se em mosquitos adultos.
O ciclo de vida do mosquito é de 35 dias, mas o número de pessoas que ele pode infectar é ilimitado.
FONTE: com Ascom